CURSO SUPERIOR – EEAR

MEC- MISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA, RECONHECE CURSO DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS COMO CURSO SUPERIOR.
O MEC ACABA DE DIVULGAR A TERCEIRA EDIÇÃO DO CADASTRO NACIONAL DE CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. SEGUNDO A PUBLICAÇÃO, OS CURSOS DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS FEITO NAS ESCOLAS MILITARES PASSAM A SER RECONHECIDOS COMO NÍVEL SUPERIOR DENTRO DO EIXO MILITAR, A EDIÇÃO ATUAL DE 2016 DO CNCST ABRANGE 134 CURSOS.

15 ideias sobre “CURSO SUPERIOR – EEAR

  • Bom dia! Gostaria de saber se a ABRAMEAR irá interceder para que tenhamos nossos diplomas de Tecnólogos. Quem se formou em Eletrônica na EEAER, com dois anos de curso; uma concorrência no concurso de fazer inveja à maioria das Faculdades Brasileiras e com aproximadamente 3.800 hs efetivas de aulas, tirando as férias, os domingos e as noites efetivamente dormidas. Acredito que quem se formou em Eletrônica poderá obter seu diploma como: Tecnólogo em Comunicações Aeronáuticas (2400 h/a) ou Tecnólogo em Gestão de Comunicações (1660 h/a). Além de Eletrônica, as demais especialidades da área de Comunicações, também podem obter essa certificação. Aguardo pareceres.

  • Boa Tarde,
    Quero vossa informacao com respeito aos que se formaram anteriormente, se esses diplomas sao válidos como curso superior (tecnólogo)?
    Se temos que fazer alguma coisa para que eles sejam validados como tal?
    Muito obrigado,
    Atentamente,
    Marcelo

  • Respondendo as diversas perguntas relacionadas ao reconhecimento de nível superior aos Cursos de Formação de Sargentos das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), informo que DEVEMOS AGUARDAR as regulamentações, que competem aos Departamentos de Ensino das respectivas instituições, no nosso caso DEPENS. Devemos considerar as diversas modalidades de formação de Sargentos em cada uma das Forças Armadas, o que demanda análise para uniformização de procedimentos e as devidas equiparações. Deve-se considerar também a realização do CAS, que é uma complementação curricular e deve ser integrada a formação, como curso sequencial, como é admitido pelo MEC. Na Aeronáutica temos os Cursos de Formação com duração de 2 anos, o EAGS com tempo menor e ainda as Graduadas do QFG, formadas no CIAAR, os Sargentos Músicos mais antigos e outros casos. O CAS deve ser somado a isso, como formação? – Não acredito na possibilidade de reconhecimento do CAS como pós graduação, dada a sua natureza complementar da formação. Segundo a legislação cabe as instituições adequarem seus cursos aos parâmetros definidos pelo MEC e fazer a correlação dos currículos com denominações diferentes, abrangendo cursos já realizados, cursos em andamento e os que virão a ser ministrados futuramente. – Isso responde as dúvidas sobre a validade dos cursos antigos. Ou seja: serão reconhecidos, sim! Com as devidas equiparações que se fizerem necessárias. O caso mais complicado é da Marinha, que tem a seleção de todos os seus Graduados como Marinheiros e Cabos, sendo o Curso de Formação de Sargento feito em módulos (curso sequencial). – Nem por isso deverão ficar de fora, já que não é essa a intenção do MEC, que no intuito de atender a todos, criou o EIXO MILITAR, para recepcionar cursos sem similares no meio civil, tais como Infantaria, Artilharia e Cavalaria. Vale lembrar que no passado os cursos ministrados na AFA também tiveram que passar por regulamentação, pois não existia parâmetros nos cursos aprovados pelo MEC, para equiparar os atuais Bacharéis em Ciências Aeronáutica e os Infantes.

    SO SAD R/1 DEUSDETE

  • Complementando meu comentário sobre RECONHECIMENTO DE NÍVEL SUPERIOR, sugiro aos colegas que acessem http://www.consultaesic.cgu.gov.br/busca/dados/Lists/Pedido/Item/displayifs.aspx?List=0c839f31-47d7-4485-ab65-ab0cee9cf8fe&ID=497334&Web=88cc5f44-8cfe-4964-8ff4-376b5ebb3bef Nesse endereço é possível acompanhar a resposta dada ao interessado que formulou oficialmente uma pergunta junto ao Comando da Aeronáutica, a esse respeito. Nota: A pergunta, muita mal foi formulada, é de autoria de um 3S, justificando-se por si só. Paga 10 novinho! (risos), Ao que parece a Aeronáutica não tem interesse em envidar esforços para que o Curso de Formação de Sargentos seja reconhecido como formação de Nível Superior. Pois além das providências a cargo do Ministério da Educação e Cultura (MEC), o processo de reconhecimento requer providências também por parte das instituições (Marinha, Exército e Aeronáutica). O MEC abriu um extenso leque de opções para facilitar que as Forças Singulares façam as adequações necessárias, equiparando inclusive os cursos nominados de formas diversas as que são dadas aos cursos similares no meio civil. Só a título de informação, ao que se sabe, até o presente momento a única instituição que providenciou para que o Curso de Formação de seus Sargentos obtivesse o reconhecimento de Nível Superior de Tecnólogo, foi a Polícia Militar do Estado de São Paulo. Não sei qual será o posicionamento da Marinha e do Exército a esse respeito, mas por parte da Aeronáutica, como visto, não se deve esperar boa vontade. Pois analisando o teor da resposta dada pelo SECONSAER, fica nítida a clara intenção de que o reconhecimento de Nível Superior de Tecnólogo fique restrito aos Oficiais Especialistas (CFOE), formados no CIAAR, que não é estendido nem mesmo aos integrantes do QOEA. Parece que equivocadamente a Aeronáutica esteja associando hierarquia e formação profissional de mão-de-obra. O Curso de Formação de Sargentos da Aeronáutica é o mais extenso e possuidor de maior carga horária entre todos os existentes no Brasil, superando em muito o que o MEC vem exigindo. Ainda assim corre o risco de ser o único a não ter o reconhecimento formalizado junto ao Ministério. Interessante é que no passado o Ministério da Aeronáutica foi o primeiro a cogitar que os Suboficiais tivessem reconhecida a condição de Tecnólogos, tendo para isso emitido a NOTA Nº 20/MIN/ADM, de 21 de dezembro de 1988, para que fossem levantadas as providências que se fizessem necessárias ao reconhecimento pelo MEC. Na ocasião, o Exmº Sr. Ministro da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar. OCTÁVIO JÚLIO MOREIRA LIMA já manifestava a sua preocupação com o fato de que os Sargentos da Aeronáutica precisassem buscar a formação superior fora da instituição, menosprezando a primorosa formação recebida. Por serem bem preparados, os Sargentos tiravam as vagas que poderiam ser destinadas a outros jovens em busca de formação nas Universidades Públicas. Além disso, ao receberem formação diversa daquelas de interesse da Aeronáutica, os Sargentos muitas vezes acabavam por abandonar a carreira militar para ingressar na nova área de formação. Como se vê, parece que a Aeronáutica pegou a contra-mão da história e retrocedeu. Recomendo aos colegas que continuem buscando a formação nas Universidades e não esperem por “milagres operados na caserna”. Parabéns Polícia Militar do Estado de São Paulo. Seus melhores salários em relação as Forças Armadas se justificam. É para a frente que se anda. Abraço a todos

  • Corrigindo o texto acima, onde se lê ” Nota: A pergunta, muita mal foi formulada…”. Leia-se: “Nota: A pergunta, muito mal formulada…”. Onde se lê: “SECONSAER”. Leia-se: “CECONSAER”, pois trata-se do Centro de Comunicação Social… e não do “Setor de Comunicação Social, como veio-me à cabeça, ao escrever.

  • Eis a resposta do CECOMSAER, por mim referida no comentário acima:
    “Acesso a informação
    GOVERNO FEDERAL
    Sobre a Busca Perguntas Frequentes Download de Dados
    Turn on more accessible mode
    Skip Ribbon Commands
    Skip to main content
    Turn off Animations
    Close

    Formação de sargentos como nível superior. – Pedido 60502001454201644

    28/07/2016

    – Acesso Concedido

    Dados do Pedido

    Órgão Destinatário:

    COMAER – Comando da Aeronáutica
    Classificação de Resposta:

    Resposta solicitada inserida no e-SIC
    Categoria do Pedido:

    Trabalho
    Subcategoria do Pedido:

    Profissões e ocupações
    Link Detalhes:

    http://www.consultaesic.cgu.gov.br/busca/_layouts/15/DetalhePedido/DetalhePedido.aspx?nup=60502001454201644

    Pergunta

    28/07/2016
    Bom dia. Sou 3º sargento de carreira e gostaria de obter informações sobre a regulação e procedimentos a serem adotados pela Aeronáutica e pelos sargentos sobre o reconhecimento da nossa formação como curso de nível superior, conforme a portaria N.º 413, de 11 de maio de 2016. Eis algumas perguntas originadas de diversos sargentos de variadas turmas: 1. Qual o procedimento a ser tomado pela Aeronáutica com relação ao reconhecimento da formação dos sargentos como nível superior no quesito EMISSÃO DE UM NOVO DIPLOMA? Será preciso enviar um requerimento de um novo diploma à sua escola de formação? 2. A turma atual já sairá com o diploma de nível superior? E as anteriores de 10 e 18 meses, qual o prazo estabelecido para regular essa situação e emitir os respectivos diplomas e registros junto ao MEC? 3. Haja vista a equiparação de nível de formação e cursos entre Oficiais e praças (ambos agora com nível superior), há algum estudo/projeto para diminuir a considerável diferença salarial entre oficiais e praças? 4. Se alguma praça for aprovada em um concurso de nível superior, qual o procedimento a ser adotado por este, haja vista a falta de informações e inexistência de diploma de graduação no atual cenário? Será necessário entrar com um mandado de segurança contra a entidade pública do concurso em questão em favor da praça aprovada? Ou uma simples declaração do Cmdo do Exército já será suficiente para tomarmos posse ? 5. Qual o motivo da não contemplação de todos os cursos da formação de sargentos como de nível superior? Há algum projeto para incluí-los ? Desde já, agradeço a atenção e as informações que serão prestadas, ajudando todas as praças oriundas das escolas das Forças Armadas a dirimir suas dúvidas.

    Resposta

    19/08/2016
    MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA Centro de Comunicação Social da Aeronáutica Prezado Cidadão, Agradecemos seu contato com o Comando da Aeronáutica (COMAER) pelo sistema e-SIC. Sobre a solicitação em comento, cumpre-nos esclarecer que o COMAER possui sete cursos superiores de tecnólogo, ministrados no Centro de Instrução Especializada, em Belo Horizonte, reconhecidos pelo MEC desde 2007, tais cursos são os seguintes: 1 – Comunicações 2 – Fotografia / Fotointeligência 3 – Controle de Tráfego Aéreo 4 – Meteorologia Aeronáutica 5 – Armamento / Sistemas de Armas 6 – Aviões / Manutenção Aeronáutica 7 – Suprimento Técnico Esses cursos atendem às necessidades da Força Aérea e são destinados a Suboficiais e Sargentos selecionados através de exame de seleção depois de atingirem determinada fase da carreira. Ao terminarem o curso, passam para o Quadro de Oficiais Especialistas da Aeronáutica, no Posto de 2º Tenente, podendo chegar até Coronel. O atual Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia não contempla novos cursos relacionados com a Força Aérea Brasileira. Assim, não há novo reconhecimento a ser considerado. Demais disso, V.Sa. poderá acompanhar publicações, editais, informações e outras notícias da Força Aérea Brasileira (FAB) no sítio eletrônico http://www.fab.mil.br e em nossas mídias sociais: Facebook: http://www.facebook.com/aeronauticaoficial Twitter: http://www.twitter.com/portalfab Instagram: http://www.instagram.com/fab_oficial Força Aérea Blog: http://www.forcaaereablog.aer.mil.br Youtube: http://www.youtube.com/portalfab Flickr: http://www.flickr.com/photos/portalfab Por fim, cabe ressaltar que, nos termos do art. 21, Parágrafo único, do Decreto nº 7.724/2012, eventual recurso sobre esta resposta poderá ser dirigido ao Comandante da Aeronáutica, no prazo de dez dias, a contar da data desta resposta. Serviço de Informações ao Cidadão COMANDO DA AERONÁUTICA Centro de Comunicação Social da Aeronáutica Esplanada dos Ministérios – Bloco M – 7º andar – Brasília – Distrito Federal CEP 70.045-900.”

  • “O atual Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia não contempla novos cursos relacionados com a Força Aérea Brasileira. Assim, não há novo reconhecimento a ser considerado.” eu não estou de forma alguma preocupado com o que pensa a aeronáutica sobre o reconhecimento que possa satisfazê-la, preocupo-me em não poder acender ao nível superior pq não é da sua conveniência. Ficou bem claro que, mesmo com todos os documentos do MEC em mãos, o sargento da aeronáutica, diferente do soldado PM ou bombeiro de Brasília ou SP, não pode, de maneira alguma, se equiparar ao seu oficial.

  • Boa tarde,pelo que li no edital da FAB relativo ao curso EAOf a duração do mesmo é em torno de 13 semanas,o que fica muito aquém das 2400hs previstas pelo MEC e mesmo assim eles reconhecem.

  • A Polícia Militar do Estado de São Paulo já providenciou a equivalência de seus cursos de formação e o Exército deu o primeiro passo no mesmo sentido. É possível que a Aeronáutica “pegue no tranco” – como sempre. – e propicie a equiparação dos Especialistas (Sargentos, Suboficiais, Tenentes e Capitães QOEA). A EEAR, muito pelo contrário, não fica nada a dever aos Cursos de Formação de Sargentos das demais instituições e nem mesmo ao CIAAR, que forma os Oficiais Especialistas CFOE. O Exército deu início ao reconhecimento de Nível Superior ao Curso de Formação de Sargentos. Para tanto foi publicado o Decreto nº 9.171, de 17 de outubro de 2017, que trata do Ensino no Exército Brasileiro, dando novos contornos a formação profissional dos militares da Força Terrestre. O Decreto trata da equivalência dos cursos de formação do Exército, desde o nível fundamental para Soldados e Cabos, passando pelos níveis médio e superior de tecnologia para Sargentos, Subtenentes e Oficiais do Quadro Auxiliar e nível superior de bacharelado ou licenciatura para Oficiais e Oficiais Generais, suas pós graduações, mestrado, doutorado e pós doutorado.

  • SE DEPENDER DE FICAR AGUARDANDO DEPENS E FAB, JÁ MAIS SERA RECONHECIDO.
    ESSA FORCA E ESCROTA E NÃO FAZ NADA PELO GRADUADO, NEM VAI FAZER, AINDA QUE ISSO NÃO VENHA A TRAZER DESPESA NENHUMA PARA UNIÃO, POIS MEXE COM O EGO DOS OFICIAIS, POIS PASSARITAMOS A FICAR EM PE DE IGUALDADE COM OS DEUSES OFICIAIS.
    FORCA E O EB QUE JA RECONHECEU, E AINDA PROMOVE SEUS GRADUADOS ATE CAP E PODERÁ CHEGAR A MAJ.
    PRA MIM SERIA IMPORTANTE ESSE TITULO, POIS PODERIA TRABALHAR COM UM NIVEL MAIS ELEVADO, UMA VEZ QUE 30 ANOS NÃO VENCEU, COM ESSE SALARIO INSIGNIFICANTE DE SO, QUE SEMPRE ESTA SENDO PENALIZADO NOS REAJUSTES, SEMPRE E O MENOR PERCENTUAL.
    E VIVA A FORCA AÉREA??????????????????????????????
    AGORA ACHO QUE A ABREMAER DEVERIA FAZER UM PROCESSO ADMINISTRATIVO E CASO NAO OBTIVESSE EXITO, ENTRAR COM UM PROCESSO JUDICIAL.
    UMA VEZ QUE NAO ESTAMOS CONSEGUINDO NADA ATRAVÉS DE VIA ADMINISTRATIVA, POLITICA E JUDICIAL NA PROMOÇÃO A CAP.
    SERIA ATE UMA FORMA DE DEMONSTRAR PRA ESSA FORCA ESCROTA, QUE ESTAMOS NOS ASSOCIANDO E BRIGANDO PELOS NOSSOS DIREITOS E MELHORIAS.

  • SE DEPENDER DE FICAR AGUARDANDO DEPENS E FAB, JÁ MAIS SERA RECONHECIDO.
    ESSA FORCA E ESCROTA E NÃO FAZ NADA PELO GRADUADO, NEM VAI FAZER, AINDA QUE ISSO NÃO VENHA A TRAZER DESPESA NENHUMA PARA UNIÃO, POIS MEXE COM O EGO DOS OFICIAIS, POIS PASSARITAMOS A FICAR EM PE DE IGUALDADE COM OS DEUSES OFICIAIS.
    FORCA E O EB QUE JA RECONHECEU, E AINDA PROMOVE SEUS GRADUADOS ATE CAP E PODERÁ CHEGAR A MAJ.
    PRA MIM SERIA IMPORTANTE ESSE TITULO, POIS PODERIA TRABALHAR COM UM NIVEL MAIS ELEVADO, UMA VEZ QUE 30 ANOS NÃO VENCEU, COM ESSE SALARIO INSIGNIFICANTE DE SO, QUE SEMPRE ESTA SENDO PENALIZADO NOS REAJUSTES, SEMPRE E O MENOR PERCENTUAL.
    E VIVA A FORCA AÉREA??????????????????????????????
    AGORA ACHO QUE A ABREMAER DEVERIA FAZER UM PROCESSO ADMINISTRATIVO E CASO NAO OBTIVESSE EXITO, ENTRAR COM UM PROCESSO JUDICIAL.
    UMA VEZ QUE NAO ESTAMOS CONSEGUINDO NADA ATRAVÉS DE VIA ADMINISTRATIVA, POLITICA E JUDICIAL NA PROMOÇÃO A CAP.
    SERIA ATE UMA FORMA DE DEMONSTRAR PRA ESSA FORCA ESCROTA, QUE ESTAMOS NOS ASSOCIANDO E BRIGANDO PELOS NOSSOS DIREITOS E MELHORIAS.
    TEM MAIS UM DETALHE
    O COLEGA FALOU QUE TEM DIVERSAS MODALIDADES DE SARGENTOS E SO, E REALMENTE E VERDADE HJ EXISTE ATE SO QUE NUNCA PASSOU PELA ESCOLA NEM FE CAS, MAS O MEC FALA EM ESCOLAS MILITARES E ENQUADRA CURSOS, INCLUSIVE COM CARGA HORARIA.
    MUITO SIMPLES QUEM FEZ DETERMINADO CURSO NA EEAR QUE ESTA ENQUADRADO NO ALMANAQUE DO MEC, TEM DIREITO.
    SO PARA REGISTRAR, O SARGENTO QE DO EXERCITO QUE SAO COMPARADOS AO QESA, CHEGARAM A SUB TENENTE ATRAVÉS DE POLITICOS
    OTÁRIO MESMO E O SO DA FAB QUE FEZ AQUELA ESCOLA, ESSA E A CONCLUSÃO QUE CHEGAMOS.
    MAIS UMA VEZZ E VIVA A FAB ??????????????????????????????

  • O MEC NAO FALA EM EAOF, OS IMBECIS DA FAB E QUE ESTA VINDO COM ESSA JUSTIFICATIVA PARA NAO RECONHECER.
    O MEC FALA EM ESCOLA DE SARGENTOS.
    O IMBECIL QUE ANALISOU LA NO DEPENS, PARECE QUE E A ANALFA, E NAO SABE LER.

Deixe uma resposta